Uma convenção que jamais será esquecida

Primeira preleção do Fórum de Direitos Humanos pelo bispo Hermes C. Fernandes

No último final de semana, entre os dias 12 e 15 de Julho, a Igreja Reina promoveu a sua décima segunda Convenção Internacional. Foram dias memoráveis em que todos reunidos nas dependências da igreja sede no Engenho Novo e no auditório das Boas Novas foram surpreendidos tanto pelas apresentações dos distritos quanto pelas mensagens pregadas pelos bispos Hermes C. Fernandes, William Mikler (EUA), Elias Fernandes e Alexandre de Paula.

Lançamento do livro "REINISMO"
Palhaços Tomaki e Tiralá

Bispo Bill Mikler consagrando o pão da Santa Ceia

Banda Hizayon abrindo a celebração 



No primeiro dia de convenção, o bispo Hermes lançou seu vigésimo livro, cujo título é "REINISMO - O Cristo de sempre para o mundo de hoje e de amanhã" e que será usado como texto base da nova escola bíblica dominical da Reina. Em seu sermão, o bispo Hermes fez uma analogia entre o agir do Espírito Santo na História e a erosão provocada pela água, pelo vento e pelo fogo, transformando a topografia da terra.

Fazendo coro com o clamor das ruas

Equipe de teatro da REINA - P. Fluminense

Bispo Hermes de "Fantasma da Ópera"

No sábado, segundo dia do evento, tivemos uma inesquecível reunião de oração pela manhã, com preleções do bispo Elias, vice-presidente da Reina e do bispo Bill Mikler dos Estados Unidos. Ambos falaram da importância da oração. Ao término, o bispo americano convidou a algumas pessoas para que orassem ao microfone, e cada oração era intercalada por uma canção tradicional do livro de oração comum chamada "Kyrie". Algumas dessas orações foram regadas de lágrimas.

O povo feito de fantoche nas mãos dos poderosos

A Cruz e a bailarina de REINA - Guapimirim

Equipe de abertura oficial da convenção da REINA - S. Margarida


Na tarde do mesmo dia, tivemos o I Fórum de Direitos Humanos com a participação de diversas personalidades, entre elas, Bebeto, tetracampeão brasileiro e deputado estadual pelo RJ, sua filha Stephannie Oliveira que nos brindou com um lindo testemunho, Vinícius Cordeiro, presidente do PTdoB e do América Futebol Clube, Miro Teixeira, Deputado Federal e ex-ministro das telecomunicações, Luiz Paulo Corrêa, Deputado Estadual e ex-governador do RJ, Leonardo Giordano, vereador de Niterói e autor da lei que cria a comissão municipal da verdade, Paulo Eduardo Gomes, vereador e presidente da Comissão de Bem Estar Social da Câmara de Niterói, Carlos Augusto Pereira, procurador federal (portador de deficiência visual) que nos emocionou ao recitar alguns dos seus poemas, William Mikler, arcebispo americano, Ozias Inocência, juiz e autor do livro "Justiça Social e Igualdade Racial" e Hermes C. Fernandes, líder da Igreja Reina.

À noite tivemos a abertura oficial da convenção à cargo do sétimo distrito sob a liderança do bispo José Mauro Luciano, e com direito a entrada das bandeiras e o hino nacional. Nunca o cantamos com tanta emoção como desta vez. Tivemos também a belíssima apresentação do oitavo distrito liderado pelo bispo José Luiz Rodrigues, com uma impecável performance de ballet onde uma bailarina e um boneco de chumbo representavam Cristo e a Igreja. A apresentação terminou com o grito "vem pra rua, vem!" e contagiou a todos.



O terceiro distrito liderado pelo Pr. Martins e o Pr. Valmir apresentou um vídeo com imagens das manifestações populares e conclamando a igreja a unir sua voz ao coro das ruas e a estender suas mãos aos excluídos e necessitados. O sexto distrito liderado pelos bispos José Geraldo e Celso Passos nos brindou com uma peça musical que destacava a atuação de Cristo na proteção do seu povo contra as acusações do adversário, impedindo que seu povo seja refém dos sistemas deste mundo.

O sermão da  noite foi sobre o tema "Um amor para o qual viver", em que o bispo Hermes ressaltou a razão pela qual devemos desejar viver em vez de partir, ainda que saibamos o quão bom seria estar com o Senhor na eternidade.

"Brigada Reinista" - Sem eles não seria possível a festa

Bispo Hermes lavando os pés da diaconisa Severina e da Missionária Lucy

No domingo pela manhã tivemos a celebração da Santa Ceia do Senhor. O culto foi iniciado pela banda Hizayon em clima de festa e adoração. Depois tivemos a apresentação do quinto distrito liderado pelo Pr. Rangel (que por motivo de enfermidade não pode estar presente). A equipe deste distrito destacou a relevância da atuação de pessoas idealistas como Mandela, Madre Teresa de Calcutá e Martin Luther King, conclamando-nos a tomá-los como referência de amor à humanidade. Pra. Claudia mais uma vez nos brindou com uma linda e inusitada canção.

Madre Teresa de Calcutá representada pelo quinto distrito

Depois foi a vez do quarto distrito liderado pelo bispo Alexandre de Paula que surpreendeu-nos a todos com uma peça homenageando o profeta Gentileza por sua garra, idealismo e luta por um mundo melhor. O profeta Gentileza foi um figura considerado por muitos como folclórica, uma andarilho que denunciava as mazelas sociais enquanto escrevia suas reflexões nas bases dos viadutos do Rio. A última apresentação foi do primeiro distrito sediado no Engenho Novo que abordou a manipulação das massas pelos poderosos através da política do pão e circo. Coincidentemente, as duas últimas apresentações foram inspiradas em espetáculos circenses.


Bebeto falando no I Fórum de Direitos Humanos

A mensagem do dia ficou a cargo do bispo Hermes e abordou a primeira perseguição sofrida pelos cristãos primitivos protagonizada por Herodes. Segundo o bispo, o monarca perseguia a igreja para entreter os judeus, assim como muita coisa é feito em nossos dias para entreter as massas, distraindo-as do que deveria ser o foco principal.

Antes da celebração eucarística, o bispo Hermes chamou ao púlpito a missionária Lucy, octogenária que tem se dedicado a obra de Deus por quatro décadas e avó do Marlon, rapaz vítima do pedaço de concreto que despencou de um viaduto em Del Castilho recentemente e que ainda se encontra em estado gravíssimo, e a assistente diaconal Severina. Ambas sentaram-se em cadeiras especiais destinadas às autoridades e tiveram seus pés lavados pelo bispo Hermes diante da multidão emocionada. O bispo destacou que no reino de Deus quem exerce autoridade deve antes aprender a servir. A celebração da Ceia ficou a cargo do bispo Bill Mikler.
Equipe de Teatro da Reina do Engenho Novo

Na segunda-feira, último dia de convenção, tivemos duas preleções à tarde. O bispo Alexandre falou sobre a importância de fazer as coisas certas pela motivação certa. Deus examina os corações e não apenas as ações. Já o bispo Mikler falou sobre as duas procissões que há no mundo, a da morte e da vida. O texto usado foi o da ressurreição do filho da viúva de Naim. Segundo o bispo, a colisão entre as duas procissões é inevitável. Porém, a vida sempre prevalece. Outra coisa para a qual ele nos chamou a atenção foi para o fato de que a procissão liderada por Jesus ia da direção da cidade, enquanto a outra vinha da cidade. A igreja, portanto, deve sempre caminha na direção da realidade em que está inserida e não vice-versa. À noite, o bispo Hermes pregou sobre a importância de servir e dar honra uns aos outros, sem esperar reciprocidade.