REINA - Igreja para todas as gerações


A igreja deve prover um ambiente acolhedor a todas as gerações, e trabalhar com afinco para que se atenue o conflito entre elas.

Não se pode, por exemplo, focar exclusivamente no público jovem, e esquecer-se da terceira idade. O mesmo Jesus que acolheu as crianças, também deu atenção ao velho Nicodemos.

Ninguém deve ser relegado a segundo plano. Uma igreja completa tem que ser constituída de pessoas de todas as faixas etárias.

Os jovens necessitam dos adultos, do seu exemplo, de seus conselhos, de sua sabedoria. Os adultos necessitam da companhia dos jovens, compartilhando de seus sonhos e energia.

A igreja, portanto, deve ser esse point de gerações.

Todo relacionamento verdadeiro depende de uma base de valorização e respeito mútuos. Esta expectativa fundamental da aceitação dos outros pode ser visto mais claramente do que no relacionamento entre pessoas de diferentes gerações.



É por isso que as famílias fornecem um laboratório natural de descoberta de como se dar bem com os outros. Em uma família saudável, crianças e adultos aprendem a superar as diferenças e a apreciar o que cada um traz para a mesa.

"Pois já é tempo que comece o julgamento pela casa de Deus". Esta parte 1 Pedro 4:17 declara que a igreja é realmente uma família ... a casa de Deus. Nesta passagem, também somos lembrados de que, como uma família nossos comportamentos são julgados. O próprio Deus criou uma família extraordinária e somos instruídos a "fazer o bem a todos os povos", com uma ênfase especial sobre "aqueles que pertencem à família da fé".

Precisamos avaliar honestamente as nossas atitudes e ações da congregação para ver se podemos medir o chamado bíblico para ser uma família ... a família de Deus. Uma família forte é aquele que aceita, apóia e alimenta os seus membros, em tempos de bênçãos, crises, crescimento e mudança ao longo do período de sua existência. Como pode uma família da igreja alcançar, conectar e discipular tantas gerações radicalmente diferente?

Como uma família, cada igreja necessita:

1- Estabelecer um valor fundamental da família.

2 - Desenvolver a compreensão inter-geracional, respeito, cooperação e ministério.

3 - Construir um crescimento e um plano de evangelismo que inclui discipulado e evangelismo geracionalmente sensível.

4 - Ser transformada em uma expressão visível da família de Deus.

O modelo de gerações oferece uma abordagem com base bíblica para a construção de fortes relacionamentos internos em uma família da igreja entre gerações diferentes e que a meta do ministério para as necessidades de geração da comunidade.

O Núcleo: Cinco princípios que descrevem o que significa a geração de uma família da igreja bíblica:

Multi-geracional (Multi: Muitos) - Acolher

Intra-geracional (Intra: Dentro, interno) - Defender

Para-geracional (Para: ao lado) - Parceria

Trans-geracional (Trans: Através) - Multiplicar

Meta-geracional (Meta: Mudança) – Crescer/amadurecer


Primeiro Princípio
: ACOLHER

Uma Igreja Família é Multi-geracional

MULTI – Muitos

1 Coríntios 12:14“Ora, o corpo não é um só membro, mas muitos.”
Romanos 15:7“Portanto, recebei-vos uns aos outros, como também Cristo nos recebeu para a glória de Deus.”

Uma congregação Multi-Geracional ABRAÇA a diversidade de gerações, raças, culturas e estilos de adoração. Reconhecendo que a unidade em Cristo não significa uniformidade; a igreja Multi-Ger mantém a ortodoxia bíblia enquanto celebra diferentes expressões de ministério.

Nela, o jovem não se sentirá recriminado pela sua forma de vestir, de falar, ou por causa do estilo musical de que gosta. O ancião não se sentirá ameaçado, encostado, deixado de lado.

Um exemplo disso é o episódio em que Jesus repreende Seus discípulos, quando tentavam impedir que as crianças chegassem a Ele. Não as impeçam, deixem-nas vir a mim!

Todas as faixas etárias tinham igual acesso a Ele. Idosos como Nicodemos, que preferia a discrição, eram acolhidos por Jesus.

Jovens, adultos, pais e filhos, eram todos bem-vindos.

Não há mais lugar para igrejas especializadas num determinado público. A igreja é, por definição, uma comunidade aberta a todos. Ela é a sociedade modelo. A Nova Jerusalém.

Zacarias antevê esta sociedade, e profetiza:

“Assim diz o Senhor dos Exércitos: Ainda nas praças de Jerusalém habitarão velhos e velhas, levando cada um na mão o seu bordão, por causa da sua muita idade. As praças da cidade se encherão de meninos e meninas, que nelas brincarão” (Zc.8:4-5).


Segundo Princípio – DEFENDER

Uma Igreja Família é Intra-geracional

INTRA – Interno, dentro

Efésios 4:16 – “Do qual todo o corpo bem ajustado, e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, faz o seu próprio aumento para a edificação de si mesmo em amor.”

Uma congregação Intra-Ger reconhece a existência de necessidades específicas de cada geração dentro da igreja. Uma igreja Intra-Ger insiste que cada grupo geracional defenda seus membros provendo ministérios específicos (alvos) e discipulado.

Não basta acolhê-los. É necessário que compremos sua briga, isto é, saiamos em defesa de cada geração, buscando compreender suas peculiaridades, sua cosmovisão.

O jovem precisa saber que vai encontrar na igreja quem o defenda, não quem o condene. Vai encontrar mãos estendidas, não dedos à riste.

Carecemos de uma igreja engajada contra a exploração do trabalho infantil, contra a exploração sexual, contra as injustiças sofridas pelos idosos.


Terceiro Princípio
– PARCERIA

Uma Igreja Família é Para-geracional

PARA – Ao lado

1 Tessalonicenses 5:11“Pelo que exortai-vos uns aos outros e edificai-vos uns aos outros, como também estais fazendo.”

Uma congregação Para-Ger funciona como um time e seus diversos grupos geracionais fazem parceria com os demais, para prover um ministério de entrosamento entre gerações, dentro e além da igreja.

Se não tomarmos os devidos cuidados, corremos o risco de dividir a igreja em trincheiras geracionais, digladiando entre si. Temos que apresentar o caminho da cooperação como alternativa ao caminho da competição.

Jovens podem lutar pela causa dos idosos, e vice-versa. Não são adversários, mas parceiros.


Quarto Princípio – MULTIPLICAÇÃO

Uma Igreja Família é Trans-geracional

TRANS – Através, de um para o outro

2 Timóteo 2:2 – “E o que de mim, através de muitas testemunhas ouviste, confia-o a homens fiéis, que sejam idôneos para também ensinarem os outros.”

Uma congregação Trans-Ger leva a sério o mandato bíblico de multiplicar através de orientação, treinamento e discipulado. Cada geração tem responsabilidade para a próxima geração e visa proporcionar um exemplo de fidelidade para ensinar e liderar.

Ora, jovens são atraídos por outros jovens. Anciãos se sentem mais à vontade quando percebem que há outros de sua faixa etária no mesmo ambiente.

Temos que estimulá-los a atrair outros semelhantes a eles para a igreja.


Quinto Princípio – CRESCIMENTO

Uma Igreja Família é Meta-Geracional

META – Mudança, ir além das formas estabelecidas

2 Tessalonicenses 1:3“Sempre devemos, irmãos, dar graças a Deus por vós, como é justo, porque a vossa fé cresce muitíssimo e o amor de cada um de vós aumenta de uns para com os outros.”

Uma congregação Meta-Ger percebe que todos os seus membros devem crescer e irá, naturalmente, transitar de uma geração para a seguinte. A igreja Meta-Ger visa proporcionar uma preparação e ajudar através de cada uma destas mudanças.

Forever Young
foi um sucesso da década de 80. Todos gostariam de continuar jovens para o resto da vida. Mas isso é impossível. Mesmo com plásticas, com tratamentos caríssimos, por mais que a pessoa rejuvenesça sua aparência, por dentro, ela terá sua própria idade. O acúmulo de experiências vai torná-la mais sóbria, prudente e sábia. Temos que ajudar as pessoas a transitarem de um grupo para o outro, sem jamais se sentirem inferiores, diminuídos ou preteridos.

Peter Pan ainda não se converteu!